top of page
  • contato475414

GUIA: CONHEÇA O PERFIL DO EMPREENDEDOR DE SUCESSO!

Tempo de leitura: 19 minutos


Guia: conheça o perfil do empreendedor de sucesso!


1. INTRODUÇÃO

O perfil do empreendedor de sucesso muitas vezes corresponde ao de um super-homem: tem ideias geniais, consegue realizar dezenas de coisas ao mesmo tempo, tem competência para eliminar qualquer obstáculo e nunca se cansa de tentar.

Bem, na verdade ser empreendedor é algo mais próximo da vida real, do cidadão comum, da pessoa que acorda todos os dias com o propósito de ser útil. Mas de fato há um diferencial inegável no empreendedor: ele é aquele que continua buscando quando todos já desistiram.

O empreendedor é aquele que dá o primeiro passo, não se aflige diante do risco, abre novos caminhos, traça rotas, explora ambientes desconhecidos e busca uma maneira diferente de enfrentar desafios.

Meio filosófico, mas a realidade é que o empreendedor está mais próximo de um gestor do que de um inventor. Por isso neste post vamos abordar a importância de uma abordagem profissional quando o assunto é abrir um novo negócio.

Quer começar a empreender? Siga conosco e perceba a importância de se estruturar empreendimentos de forma sólida. Mas também sinta o frio na barriga característico daquele que se interessa por esse tipo de conteúdo, isso também faz parte! Boa leitura!

2. ANTES DE TUDO, ENTENDA O QUE É EMPREENDEDORISMO

Empreendedorismo pode ser visto como a capacidade de se promover o desenvolvimento. Esse raciocínio se confirma quando pensamos que, quando o governo falha e a iniciativa privada das grandes corporações não suportam a vastidão de demandas da sociedade, alguém precisa entrar em ação para preencher essas lacunas e esse alguém é o empreendedor.

Assim, empreendedorismo é uma pré-disposição a identificar problemas e criar oportunidades para que eles sejam resolvidos, investindo conhecimento e recursos em projetos que promovam mudanças e gerem impactos positivos.

Dessa forma, o empreendedorismo valoriza a evolução das coisas, novas experiências, a obstinação dos atos, a coragem nas decisões e a transformação de conceitos já sedimentados.

Mas se a leitura até aqui tiver provocado uma certa frustração por não ter sido empregado um conceito formal, então vamos acabar com isso e concluir este tópico com a definição do Dicionário Informal, uma iniciativa que busca registrar a evolução da Língua Portuguesa a partir de uma plataforma colaborativa digital.

Segundo essa fonte, empreendedorismo é “atitude de quem, por iniciativa própria, realiza ações ou idealiza novos métodos com o objetivo de desenvolver e dinamizar serviços, produtos ou quaisquer atividades de organização e administração”.

Trazer essa conceituação foi proposital, exatamente porque ela confirma o sentido exposto neste post – empreendedorismo nada mais é que uma questão de saber enxergar e aproveitar oportunidades, criar um negócio para produzir soluções direcionadas à chance identificada, cuidar dos riscos, empenhar recursos e, ao final de tudo, obter lucratividade e inserir no mercado uma nova maneira de lidar com determinado problema ou situação.

3. DESCUBRA SE VOCÊ TEM UM PERFIL EMPREENDEDOR

Pessoas com perfil empreendedor possuem algumas características inatas. Porém, por mais que possa ser considerada uma vocação ao empreendedorismo, também não há como negar que é possível se capacitar e se moldar para atuar no universo do empreendedorismo.

De forma simplista, pode-se considerar que um empreendedor pode ser reconhecido até dentro de casa. Quem não tem um familiar com iniciativa para tudo, que conserta o que está estragado, se propõe a pintar uma parede, organiza a festa surpresa de um parente e está sempre disposto a encontrar solução para problemas cotidianos na vizinhança?

Esse é um exemplo de pessoa que possui um espírito empreendedor aguçado. Porém, daí a considerá-lo um empreendedor, no sentido mais voltado para a produção e a economia de mercado, há uma distância grande.

A vocação empreendedora voltada para mudanças de uma realidade é um pouco mais complexa e vai além do famoso “botar a mão na massa”. A filosofia do “vai lá e faz” não define o empreendedorismo.

O que firma o conceito é assumir a concretização de um feito, mas antes disso ter planejado cada passo, ter envolvido pessoas e recursos em torno desse plano e ter pensado formas de medir o andamento do projeto, estando pronto para responder rapidamente a imprevistos que se apresentam ao longo desse caminho.

Quando todo esse potencial é aplicado a um negócio, aí sim tem-se a materialização mais pura e produtiva do movimento em torno do empreendedorismo. É daí que surgem iniciativas de alto impacto, que revolucionam mercados e abrem caminhos para novos patamares de qualidade e de inovação.

Você acredita que é ou pode ser um empreendedor e quer saber se tem perfil para isso? Pois saiba que há características que podem indicar se você leva jeito ou não.

  1. Autoconfiança: O empreendedor costuma ser confiante em suas capacidades e potenciais, acredita em seus sonhos e isso o impulsiona a tentar e levar adiante planejamentos, mesmo que audaciosos ou incomuns.

  2. Otimismo: A crença de que, no final, tudo dará certo é uma constante no empreendedor. E isso faz toda diferença para que ele não esmoreça diante de dificuldades e tenha sempre uma boa disposição para encarar os desafios que vão surgindo.

  3. Protagonismo e proatividade: O empreendedor não espera por ninguém, assume as rédeas do seu destino e vence as barreiras que distanciam esse sonho da realidade.

  4. Coragem: Um empreendedor não se esquiva de riscos, os enfrenta porque sabe que vencê-los é fator crítico de sucesso do seu empreendimento.

  5. Perseverança: Desistir é um verbo que o empreendedor não gosta de conjugar. Ele prefere o infinitivo “tentar”. Combina muito mais com seu espírito a vontade de realizar.

  6. Resiliência: Quando uma onda negativa invade o projeto do empreendedor, ele respira fundo e se mantém seguro à espera da passagem desse movimento negativo. Em seguida, ele está ainda mais fortalecido em relação ao contexto que o cerca.

Depois dessa lista, se por acaso você tiver percebido que não se encaixa em boa parte dessas qualidades, não se preocupe! É possível desenvolver habilidades e se treinar para que sejam internalizados alguns comportamentos que o tornarão uma pessoa realizadora, capaz de atuar de forma diferenciada em favor de um sonho ou um empreendimento.

Existem estudos que defendem que empreendedorismo sequer é um traço de personalidade. Nessa abordagem, o investimento no chamado capital intelectual poderá colocar qualquer pessoa em pé de igualdade com o que se tem como estereótipo de empreendedor, ou seja, aquele que “faz e acontece”.

Assim, é possível buscar conhecimento, capacitação e experiência, utilizando estratégias e ferramentas que auxiliam na geração de ideias e na avaliação desses insights sob a ótica empresarial da viabilidade econômica e de implementação. Além disso, treinamentos voltados para o desenvolvimento pessoal estão disponíveis no mercado, especialmente os ligados à área de coaching, que abre o olhar do participante ao novo, à concentração em objetivos focados e à capacidade de trilhar rotas que levam a um objetivo.

4. OS 5 MAIORES HÁBITOS DOS GRANDES EMPREENDEDORES

Assim como é possível adquirir conhecimentos e expertise em torno das capacidades exigidas para uma boa atuação no mundo do empreendedorismo, também é possível se adaptar a novos hábitos que contribuirão para uma visão mais focada e uma atuação mais efetiva.

Por isso vamos destacar alguns hábitos que permitirão criar uma nova filosofia de vida e uma noção mais apurada sobre o que se espera de um empreendedor, em termos de comportamento:

4.1. SEJA UM LÍDER FORTE

Um empreendedor precisa mover montanhas, quase que literalmente! É ele que irá começar um negócio do zero, a partir de uma ideia que só existe em sua cabeça ou em rascunhos de papel.

Mas sozinho ele não chegará muito longe e não é fácil convencer seguidores quando a proposta é se envolver em algo incerto, arriscado e, por vezes, totalmente desconhecido.

O que aumentará as chances de se comprometer pessoas competentes e altamente motivadas em torno de um sonho que não é delas é o espírito de liderança do empreendedor.

O ato de “vestir a camisa” do negócio será muito mais natural se os envolvidos forem liderados por alguém capaz de vender os benefícios, apresentar possibilidades de crescimento, traçar rotas instigadoras e fazer o coração bater mais forte diante do desafio.

4.2. MANTENHA A HUMILDADE

Negócios se constroem a partir de relacionamentos. São vários atores envolvidos – clientes, colaboradores, fornecedores, concorrentes – e a conexão entre essas partes precisa ser fluida e positiva.

Não há nada mais desagregador do que um comportamento arrogante. Do contrário, ser humildade abre portas e ajuda a estabelecer relações confiáveis e duradouras.

Outro ponto positivo dessa atitude é que ela abre a possibilidade de aprendizado constante, partindo do pressuposto que um empreendedor humilde jamais considera que já sabe tudo ou que não há mais o que ser agregado em sua bagagem de conhecimentos.

4.3. SEJA UM APAIXONADO

Não dá para imaginar uma pessoa empenhando esforços e seu tempo em torno de algo que não lhe traga estímulo. Por isso o empreendedor precisa trabalhar por paixão, por vontade de realizar, pelo prazer de alcançar resultados e chegar onde almejou.

Se as coisas começarem a desandar e o desânimo bater, é preciso ter garra e foco no que faz o empreendedor se emocionar. Mesmo que não seja diretamente o negócio, mas algo relacionado a ele ou ao fato gerador que deu início ao projeto.

Essa paixão é importante, mantém a chama da motivação viva e fornece resiliência nos momentos de dificuldade. Depois de passada a maré de negatividade, ainda haverá forças para retomar o caminho com brilho no olhar.

4.4. ENCANTE-SE POR OBSTÁCULOS

O empreendedor costuma ter gosto pelo risco, pelo incerto, pelo desafio. Encarar empecilhos como oportunidade de crescimento é uma atitude que coloca o empreendedor em condição diferenciada no mercado.

A economia nacional está em crise? Muitas empresas recuam, demitem e reduzem a produção. Já o negócio movido por um empreendedor surpreende e lança um produto inovador no mercado, conta com apoio financeiro de parceiros com prazo certo para acerto de contas, enfrenta a dura realidade e encontra seu lugar ao sol.

Pedras não são vistas como obstáculos por um verdadeiro empreendedor. Elas se transformam em matéria-prima para construção de alicerces mais fortes para o negócio.

4.5. VALORIZE OS COLABORADORES

Muito dificilmente um negócio alcança o sucesso apenas com o brilhantismo do empreendedor ou com sua força de vontade. Ele depende da participação de outras pessoas, que colaboram dentro de suas aptidões e possibilidades para que tudo saia conforme o planejado ou desejado.

Valorizar o capital humano é premissa em um empreendimento exitoso. Esse ativo precisa se manter alinhado com a estratégia do negócio e motivado para fazer a diferença todos os dias.

Assim, é papel do empreendedor manter bons níveis de qualidade de vida no trabalho, reconhecer a importância de seu pessoal e valorizar, explicitamente, quem dá seu tempo e capacidade em prol de um objetivo comum.

5. OS 4 ERROS QUE VOCÊ NÃO PODE COMETER

As taxas de insucesso de um empreendimento podem ser reduzidas se tomados alguns cuidados em relação à estratégia de atuação do responsável pelo negócio – o empreendedor.

Então, quem pretende se jogar no mundo do empreendedorismo pode e deve se organizar para não cair em armadilhas já conhecidas e que levam qualquer negócio ao fundo do poço. Fique atento!

5.1. DESCONHECER O MERCADO

Pense qual a chance de êxito poderá ter um empreendimento lançado em um mercado totalmente desconhecido. A resposta será: praticamente nenhuma!

Antes de abrir um negócio, é fundamental conhecer o terreno que será pisado e identificar todas as ameaças que devem ser combatidas e todas as oportunidades que poderão ser aproveitadas.

Assim, é fundamental realizar um estudo de mercado, conhecer a fundo o público-alvo, concorrentes e identificar potenciais parceiros. De posse desse diagnóstico, é preciso rever a ideia inicial e construir um plano de negócio adequado à realidade mapeada.

5.2. NÃO SE DIFERENCIAR

Um negócio não pode ser só mais um em meio a um mercado tão competitivo. Se for assim, qual a garantia de que o cliente escolherá o seu produto ou serviço em detrimento de tantos outros similares?

Buscar um diferencial é peça-chave para uma vantagem competitiva e conquista de clientes. Um caminho muito ligado ao empreendedorismo é o da inovação. E ela pode ser uma melhoria significativa em um processo, um atendimento memorável ao cliente ou o lançamento de um produto sem igual no mercado.

5.3. NÃO SE PROFISSIONALIZAR

Para ser um grande empreendedor, não basta ter boas ideias e boa vontade. É preciso ter ótimas noções de gestão empresarial, é preciso uma visão estratégica.

Assim, disciplinas como finanças, administração, gestão de pessoas e logística precisam ser conhecidas para que o negócio seja criado a partir de bons direcionamentos de gerenciamento de recursos e guiado por um planejamento estratégico eficiente.

Tratar o negócio como a mera realização de um sonho é fadá-lo ao fracasso. Um empreendimento precisa ter razão de ser, entregar algum valor ao seu público e fazer diferença no mercado. Senão, será só um sonho mesmo.

5.4. NÃO DIVULGAR O NEGÓCIO

Investir em marketing é fundamental para a colocação de um negócio no mercado. A concorrência é grande e o público é bombardeado por ações promocionais vindas de toda parte.

Então, se não houver um esforço para posicionar a marca, as possibilidades de o público aderir ao conceito do novo negócio são pequenas.

Ter um planejamento de comunicação e uma identidade visual que transmitam os valores do negócio é indispensável. É essa estratégia que criará uma conexão entre a marca e seus públicos. Sem ela, o empreendedor poderá nadar, nadar, nadar e morrer na praia.

Para quem conta com pouco orçamento para esse tipo de iniciativa, o ideal é explorar as possibilidades da tecnologia, especialmente da internet, e consolidar uma presença digital. Sites, blogs corporativos, mail-marketing e perfis em redes sociais não oneram de forma significativa o bolso e trazem resultados surpreendentes.

6. OS 3 PASSOS QUE VOCÊ PRECISA PARA COMEÇAR A EMPREENDER

Bom, conhecidas atitudes e características que podem fazer de você um grande empreendedor, é chega a hora de colocar em prática o conhecimento acumulado e começar a empreender.

Quem está começando não pode deixar de lado algumas premissas de estruturação de um negócio e de condução efetiva de projetos estratégicos. Então vamos a alguns passos que devem ser seguidos por quem está prestes a abrir um negócio!

6.1. ATRAIA BONS SÓCIOS

Não adianta ter uma ideia inovadora, dinheiro em caixa e formação em gestão de novos negócios se for firmada uma sociedade com parceiros desinteressados ou até irresponsáveis.

Buscar sócios idôneos, competentes em alguma área de interesse do negócio e que compartilhe dos mesmos ideais do empreendedor é importante porque traz a tranquilidade de poder contar com quem agrega, puxa pra frente, divide o peso e ainda, ao final do dia, tem sempre uma palavra amiga! J

Sabe a estrofe de uma música que diz que “é impossível ser feliz sozinho”? Então, ela cabe bem neste contexto porque já dissemos que ninguém chega a lugar algum de forma totalmente independente e o sucesso de um projeto tocado a várias mãos só faz sentido se todos estiverem alinhados e sentirem os mesmos efeitos positivos das conquistas alcançadas.

6.2. SAIA DO OUTRO LADO

Já ouviu falar no Princípio de Pareto? Em uma linguagem bem coloquial, ele prega que se 80% de um esforço já trouxer resultados, os outros 20% deixam de ser prioridade porque, no fim das contas, o que importa é “chegar do lado de lá”, ou seja, entregar o que se propôs, mesmo que não exatamente de forma perfeita.

Muitas vezes o perfeccionismo é um entrave para a realização. O empreendedor dedica muito tempo e recursos em planejamentos infinitos e nunca chega na fase da implementação do plano traçado.

Isso vai na contramão do empreendedorismo, caracterizado pela capacidade de assumir riscos e ter humildade para compreender que está sendo feito o melhor possível, naquele momento. Empreendedorismo é transformar sonhos em realidade, não apenas sonhar!

6.3. CRIE UM PLANO DE NEGÓCIOS

Já falamos neste post que empreender não é só ter ideias geniais, é preciso muita transpiração, ou seja, dedicação na estruturação do negócio e no planejamento de todas as fases necessárias para isso.

Assim, a base para a formatação de um negócio precisa ser uma metodologia e hoje, depois de muita evolução do campo da administração de novas empresas, o mercado aderiu a um documento chamado “plano de negócios”, que resume tudo o que um empreendedor precisa definir, de forma clara e consistente, para lançar uma novidade no mercado.

Nele, o empreendedor irá declarar a proposta de valor do negócio, ou seja, o valor que será entregue ao cliente.

Então o primeiro passo será compreender o perfil do cliente – suas características, anseios, necessidades e expectativas. Só assim será possível elaborar produtos ou serviços aderentes ao público e capazes de alcançar boa penetração e posicionar a marca adequadamente.

Outro ponto importante será analisar a concorrência e compreender como os públicos de interesse do negócio se relacionam com ela. Quais são seus pontos fortes e quais suas fraquezas? Essas respostas ajudarão a direcionar estratégias para que o empreendimento possa se destacar e ocupar espaços não preenchidos pelo concorrente.

Existem outros aspectos abordados no modelo já consolidado de plano de negócios e esse padrão pode ser encontrado em diversos sites na internet, que abordam o universo do empreendedorismo. Vale a pena conhecer, estudar e exercitar a metodologia. Essa formalização fará toda diferença na criação de um empreendimento com potencial de sucesso.

7. CONCLUSÃO

Empreendedores são pessoas orientadas à ação, altamente motivadas e que encaram o desafio de concretizar uma ideia com a satisfação digna de quem está colando um filho no mundo.

Porém, nem só de vontade de realizar sobrevive um “homem de negócios” e por isso é tão importante se profissionalizar e encarar um novo empreendimento como uma grande empreitada que consumirá muita energia e, por um bom tempo, praticamente todo o seu estoque de energia!

Ser empreendedor é isso: assumir riscos, orquestrar recursos, engajar pessoas, criar um diferencial e trabalhar duro. A recompensa? A sensação de plenitude por ter conseguido transformar em realidade planos que muitas vezes acompanharam o empreendedor por toda uma vida.

Além do fator pessoal, não se pode deixar de lado que todo negócio objetiva lucro e busca perenidade no mercado. Assim, empreendedores que têm uma ideia na cabeça precisam ter instrumentos de gestão eficientes em mãos.

Vale a pena destacar que existe no mercado brasileiro uma instituição voltada para o apoio ao empreendedor – o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). São oferecidos treinamentos, palestras, material de apoio e consultorias àquele que busca se qualificar para fazer do seu sonho um negócio real, diferenciado e lucrativo.

Um bom exemplo disso é o direcionamento que o Sebrae dá para os interessados em abrir uma franquia. A entidade desenvolveu uma cartilha que explica os passos a serem seguidos por franqueadores e franqueados. Além disso, traz os principais cuidados a serem tomados para que seja feita a melhor escolha em torno do tipo de negócio a ser iniciado.

O perfil do empreendedor de sucesso não é simples, mas vimos neste post que há caminhos viáveis para desenvolver competências para se tornar um deles. O importante é ter foco nos objetivos, garra, apoio de quem domina o que o empreendedor não conhece e muita disposição para realizar!

E você, pretende ser um empreendedor de sucesso? Gostou do conteúdo de hoje? Deixe sua opinião aqui no post!

Fonte: http://blog.academiawashington.com.br/guia-conheca-o-perfil-do-empreendedor-de-sucesso/

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Gestão Financeira - Por que esse é um tema importante

Gestão financeira são procedimentos que tem por base o controle e planejamento das atividades financeiras de uma empresa. Por meio de registros e de um bom acompanhamento por parte do gestor, é possí

Comments


bottom of page